Concurso de Poesia "Há Poesia na Escola?"


Já são conhecidos os resultados da fase concelhia deste Concurso de Poesia e a lista dos vencedores nos diferentes escalões é a seguinte:

1º Ciclo
1º Prémio – “ Livros “ – Inês Gonçalves, 3º ano, Turma 5, EB1 de Santa Apolónia , Agrupamento de Escolas da Pedrulha.
2º Prémio – “Sombra” – Joana Leonor, 4º D, nº 11, EB1 da Solum, Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro
3º Prémio -“Caixinha Mágica” – trabalho colectivo da EB1 de S. Martinho de Árvore, Agrupamento de Escolas de S. Silvestre


2º Ciclo

1º Prémio – “Eu, Abstracto” – Matilde de Sá Cordeiro Antunes Paz – 5º H, nº 14, EB 2,3 DrªMaria Alice Gouveia
2º Prémio – “Livre” – Maria Leonor, 6º B, nº 14 – EB 2,3 de Martim de Freitas
3º Prémio –“Um mundo outrora esquecido” – Ana Inês Amado, 6º B, nº 74, Colégio da Imaculada Conceição de Cernache


3º Ciclo
1º Prémio – “Grilhões com Asas” – Ana Sofia C.B.T. Carvalho, 9º 2, nº 2, Escola Secundária c/3º José Falcão
2º Prémio –“Navegar” – Sofia Seabra Gomes, 8º A, nº 827, Colégio da Imaculada Conceição de Cernache
3º Prémio – “Sem Mágoa” – Inês Gonçalves, 9º C, nº 12, EB 2,3 de Martim de Freitas


Secundário

1º Prémio“Homem de Abril”Gonçalo Alexandre Moura Coimbra, 10º H, nº 14, Escola Secundária c/3º Quinta das Flores
2º Prémio – “Tu” – Mauro Xavier Abambres Jorge, 12º A, nº 607, Colégio da Imaculada Conceição de Cernache
3º Prémio – “Contradições” – Cátia Daniela Costa, 12º A, Instituto de Souselas


A Biblioteca Escolar saúda todos os concorrentes pela sua participação e empenho neste concurso que envolveu quase todas as escolas da Rede de Bibliotecas de Coimbra. O importante é participar e continuar a escrever e a ler poesia! E há, sem dúvida, poesia na escola!
Felicitamos de um modo muito especial o aluno vencedor da nossa escola – Gonçalo Coimbra, do 10º H, pelo seu poema “Homem de Abril”, que passamos a transcrever:

Homem de Abril

Volta, ó tu de Abril,
porque eu hoje,
fútil, febril,
não te sei mais escrever.
Volta, vem ver.
Vem vendado,
que não há pecado,
mas país mudado, parado,
que custa a crer,
faz tremer!
E eu assustado, gelado,
não te sei mais escrever.


Foste capitão,
soldado, escravo,
deste a mão,
país virado.


Embrulhaste o coração,
num cravo, armado,
foste nação,
bravo, amado.


Gonçalo Coimbra
(nº14, 10ºH)


Para ti, Capitão Salgueiro Maia, onde quer que estejas.

Muitos parabéns, Gonçalo!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sugestões de Leituras para o Natal!

Concurso de Podcasts - resultados