“Anfíbios, uma pata na água, outra na terra”

 
Se és fã de anfíbios e pretendes saber mais sobre as várias espécie de animais que tanto vivem na água como na terra, poderás encontrar algumas respostas desde já na exposição que se encontra à entrada da Biblioteca da Escola Básica e Secundária Quinta das Flores.
 
Tritões, salamandras, sapos e rãs estão patentes ao público no âmbito da mostra "Anfíbios, uma pata na água e outra na terra", organizada pelo CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do porto.
 
Além de animais vivos, exibidos em aquaterrários que recriam o seu habitat, os visitantes poderão obter informações sobre a origem, biologia, importância ecológica, ameaças e necessidades de conservação de anfíbios, com especial destaque para a situação em Portugal.
Destinada a todo o tipo de público, a exposição tem ainda por objetivo acabar com alguns mitos, melhorar a imagem tradicional destes animais e incentivar a reflexão acreca dos impactos de gestos quotidianos sobre o ambiente e a biodiversidade.
 
Desapareceram 200 espécies
Segundo o responsável, desapareceram nas últimas duas décadas cerca de 200 espécies de anfíbios. Além da destruição dos habitats, "particularmente grave porque são animais que têm dois tipos de ambientes (aquáticos e terrestre) e por isso muito sensíveis à alteração de habitats", Jael Palhas esclareceu que algumas doenças estão a arrasar espécies e populações por todo o mundo. Uma das causas é o fungo cítrico.
Pequenas poças de água, tanques, poços e charcos são habitats tradicionais para esses animais, embora as pessoas não tenham a noção de que são muito importantes para este tipo de fauna. Limpar frequentemente estes habitats não é solução, para não retirar os ovos e as larvas.

  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Desafio "Há poesia na escola" | Rede de Bibliotecas de Coimbra | A força da palavra